Mensagem do Presidente

David João Ataíde da Silva Paes
Presidente do SPAC

Caros Associados,

Os Orgãos Sociais do SPAC dão, hoje, início ao exercício do mandato para o qual foram eleitos. A Direcção gostaria de enviar uma saudação especial a todos os Associados, reafirmando o empenho com que, através do seu trabalho, procurará trazer prestígio, credibilidade e coesão à nossa Classe.

Se, por um lado, é verdade que todos aspiramos a uma nova fase na vida do SPAC, é igualmente verdade que nenhuma mudança se consegue levar a cabo de um dia para o outro. Apresentamo-nos com o propósito de trabalhar e interagir de forma diferente. No entanto, deveremos sempre procurar que essas mudanças sejam implementadas e materializadas de forma gradual e serena e não em ruptura com o passado nem de forma ostensiva e precipitada.

O início de um novo mandato reveste-se, por um lado, de um certo entusiamo por se dar início a uma nova etapa, mas reveste-se igualmente da compreensível preocupação que algumas das incógnitas relativas ao futuro mais próximo suscitam em todos nós. Será, pois, fundamental manter um nível de expectativas sóbrio e realista sobre o caminho a percorrer no decurso deste mandato. Todos beneficiaremos em percorrê-lo com passos firmes e ponderados.

Em breve apresentaremos aos Associados alguns dos vectores que constituirão as áreas de intervenção prioritárias e às quais viremos a dar particular atenção. Nelas se incluirão um plano de trabalhos que permita vir a criar condições, no mais curto espaço de tempo, para a re-admissão de Pilotos que pretendam regressar ao SPAC na qualidade de Associados de pleno direito.

Pretendemos, igualmente, apresentar, muito em breve, um modelo de governance finaceira do SPAC que assegure de forma inequívoca a transparência e a correcção das contas da nossa instituição.

Recordamos que o SPAC é uma organização colectiva que carece da participação e do envolvimento de todos de modo a poder prosseguir os seus objectivos de forma sólida e consequente.

Cabe a uma Direcção ser fonte de credibilidade e confiança junto dos seus Associados. Caberá ao Associados conferir à Direcção o estímulo e a dinâmica de acção que só o envolvimento colectivo de todos pode conferir.

É este repto que lançamos. E este apelo que deixamos.

Votos de bom trabalho para todos nós.